​Affinity partilha aprendizagem com quem quer lançar o seu próprio negócio

06 Janeiro 2022 - Óbidos Parque

A assinalar os quase "10 anos de crescimento ininterrupto" da Affinity, Carlos Pais Correia, partner e CEO da nossa tecnológica, destaca, num artigo publicado pela Link to Leaders, as melhores aprendizagens da última década, e partilha-as com "todos aqueles que ambicionam lançar o seu negócio, a sua start-up, o seu projeto empresarial, já em 2022".

“É altura de deixar esse projeto sair da gaveta e lançá-lo ao mundo”, começa por dizer.

Uma dessas aprendizagens prende-se com a importância de os negócios terem “uma missão e visão claras”. “Quando se ambiciona ser rico, ser proprietário de uma empresa de sucesso, parece o caminho mais direto para lá chegar. Contudo, este será também o mais arriscado, olhando para as estatísticas de sucesso de projetos empresariais em Portugal e no mundo. Criar, desenvolver e fazer crescer uma empresa é um exercício muito complexo, pelo que, se esse for o principal motivo, poderá ter sérias desilusões pelo caminho. Além de que, quem quer trabalhar com alguém cujo objetivo #1 é amealhar dinheiro? Acredito convictamente que deve haver algo mais, algo virado para o mundo, uma missão mais holística, para efetivamente maximizar as hipóteses de sucesso do projeto. A riqueza, seja lá o que isso for, é uma simples consequência do sucesso da empresa”.

Outro dos ensinamentos partilhados por Carlos Correia no mesmo artigo prende-se com “a capacidade de atrair talento de topo, pessoas com forte potencial, alinhadas com a visão da empresa e do mundo, com os valores que acreditamos e queremos transmitir”.

“Para chegar a essas pessoas vai cometer alguns (muitos) erros, num loop contínuo de tentativa-erro, na contratação de novos colaboradores. Algumas decisões difíceis terão de ser tomadas, pelo que devemos estar preparados para prescindir de alguns profissionais e ter em conta que outros sairão pelo seu próprio pé. Não se esqueça que os melhores quererão sempre trabalhar com os melhores”, salienta.

Monitorização constante da liquidez. “Uma esmagadora maioria de empresas não passa dos 7/8 anos de vida (é verdade!) devido à má gestão da liquidez (caixa) da empresa. Garantir que a caixa cresça mensalmente, anualmente, é imprescindível para criar um negócio duradouro e de sucesso”.

Carlos Pais Correia aconselha também os empreendedores a centrarem-se no seu core business. “Os anos vão passando e a vontade de fazer coisas diferentes é muito grande. A longo prazo, atrevo-me a dizer que acaba por não fazer nada bem, além de aniquilar a sua caixa pelo meio. O mundo caminha cada vez mais para uma tendência de especialização ao nível do que os países, empresas ou pessoas sabem fazer muito bem. O meu conselho aqui é focar-se em ser o melhor na sua área de atuação principal e apostar em muita inovação contínua, criando círculos de valor à volta da sua oferta principal”.

Mas há mais conselhos úteis para quem quer empreender e lançar-se no seu negócio. Espreitem o artigo, AQUI!


Legenda da imagem: Carlos Pais Correia (ao centro) com a equipa do Óbidos Tech Hub da Affinity, no Óbidos Parque.


© 2020 Parque Tecnológico de Óbidos | Powered by Impactwave